nova_tabela_de_frete
Aprenda a calcular com a nova tabela de frete
04/06/2018

Matéria publicada em 04/06/2018 e atualizada em 05/09/2018.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT divulgou no dia 30 de maio, a nova tabela de frete, com preços mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes por eixo carregado. A fixação de uma tabela de frete foi uma das exigências dos manifestantes durante a greve dos caminhoneiros.

nova_tabela_de_frete

Várias medidas foram prometidas por parte do governo federal para que caminhoneiros cessassem as paralisações. Mas quais dessas medidas já estão valendo? Confira no link.

Em 8 de agosto, a tabela mínima foi sancionada pela presidência, sendo publicada no Diário Oficial no dia 9 de agosto.

As tabelas têm caráter obrigatório para o mercado de fretes do país e foram elaboradas em conformidade com as especificidades das cargas e estão divididas em: carga geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel. As informações são da EBC.

Os valores da tabela de frete mínimo valem até 20 de janeiro de 2019. As tabelas seguintes deverão ser publicadas até os dias 20 de janeiro e 20 de julho de cada ano e serão válidas para o semestre em que forem editadas. 

De acordo com a Lei do tabelamento, quando o preço do óleo diesel tiver oscilação superior a 10%, a tabela deve ser reajustada. Por isso, após o anúncio da Petrobrás sobre o aumento de 13% no preço do diesel, a ANTT fez um reajuste na tabela, que foi publicada no Diário Oficial de 5 de setembro.

É importante lembrar que os valores estabelecidos pela tabela são valores mínimos. Isso significa que se o motorista fizer seus próprios cálculos e chegar à conclusão de que o frete deve ser mais alto, ele tem o direito de cobrar um valor acima do indicado na tabela. 

 

Como funciona?

Os valores da tabela definem quanto deve ser cobrado dependendo da quantidade de eixos de caminhão e quilômetros a serem rodados. Os valores atuais da tabela foram divulgados no Diário Oficial de 5 de setembro – clique para ver na íntegra.

O Pé na Estrada tem uma calculadora online, que facilita o cálculo do frete. Para usá-la, você precisa saber:

  • o tipo de carga a ser carregada
  • quantidades de eixos do seu caminhão (cavalo+carreta)
  • distância a ser percorrida

Para que você entenda como os cálculos são feitos, temos um arquivo com os valores por eixo/km. Confira dois exemplos de fretes calculados e entenda como a nova tabela de frete funciona.

POR EXEMPLO:

Um motorista fará rota São Paulo x Rio de Janeiro com um caminhão trucado, transportando móveis. Essas são as informações sobre a viagem que serão usadas:

  • tipo de carga: móveis (carga geral)
  • quantidades de eixos: 3 eixos
  • distância: 431 km

exemplo_carga_geral

Então, de acordo com a tabela, o valor cobrado por frete será referente à quantidade de eixos multiplicado pela quilometragem a ser rodada. Neste caso: R$ 3,18 x 431 km.

O frete custará R$ 1.370,58.

Esse é o valor do frete apenas de ida. Se a viagem não tiver retorno garantido, o estradeiro deve cobrar o valor do frete em dobro.

 

OUTRO EXEMPLO:

Um motorista fará a rota Goiânia x Belo Horizonte, com um bitrem. O veículo é um caminhão tanque. Essas são as informações sobre a viagem que serão usadas:

  • tipo de carga: combustível (carga perigosa)
  • quantidades de eixos: 7 eixos
  • distância: 910 km

exemplo_carga_perigosa

Então, de acordo com a tabela, o valor cobrado por frete será referente à quantidade de eixos multiplicado pela quilometragem a ser rodada. Neste caso: R$ 4,41 x 910 km.

O frete custará R$ 4.013,10.

Assim como o exemplo anterior, esse é o valor do frete apenas de ida. Se a viagem não tiver retorno garantido, o estradeiro deve cobrar o valor do frete x 2.

 

E você, o que achou da nova tabela de frete?

Por Pietra Alcântara

Posts Relacionados

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS
RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS
Documento sem título